11 de outubro de 2013

Relativizando

Faz quase três semanas que vivi um dos piores dias da minha vida. 
Fui às urgências do hospital, pois estava com dores de cabeça diárias há quase 2 semanas, que não passavam com medicação. Estava a terminar um antibiótico que me haviam receitado anteriormente para essas dores, supondo que seriam provocadas por uma sinusite.
No hospital fiz dois RX que nada revelaram e por descargo de consciência resolveram fazer uma TAC. 

Depois de uma longa espera, uma medica chamou-me ao gabinete e disse-me: "A TAC revela que você tem uma lesão no cérebro e isso justifica as suas dores de cabeça. Vou chamar um neurocirurgião para a examinar e provavelmente terá de ficar já internada."
Primeiro fiquei sem reacção. Na minha ingenuidade eu só imaginava uma lesão parecida a um corte e pensava: "mas eu não bati com a cabeça!!". Depois comecei a senti que interiormente estava a entrar em pânico, mas não conseguia exteriorizar nada, até perguntar: "mas é grave?" - e só quando a médica respondeu: "não é possível saber já, pode ser benigno ou maligno", é que me caiu a ficha e eu entendi de que tipo de lesão ela estava a falar.

Quando saí do gabinete eu queria caminhava mas parecia que não estava a fazê-lo suficientemente rápido. Eu queria contar ao meu namorado e a voz parecia que não saía, como nos sonhos. Parece tudo muito cliché mas foi mesmo essa a percepção que tive. 
Prepararam-me para ficar internada e fiquei em fila de espera para ser levada para a neurocirurgia e para fazer outros exames. Não sei ao certo quanto tempo assim fiquei. Umas duas horas, acho. 
Durante esse tempo passaram imensas coisas pela minha cabeça (literalmente neste caso!) e eu só tinha vontade de chorar. 

O neurocirurgião chegou e pela forma como me abordou - ele falava baixo e tão pausadamente - parecia que me estava a preparar para a pior noticia do mundo. Só me tranquilizou quando me explicou que aquele tipo de tumores são benignos e que apesar do tamanho ser significativo, não está suficientemente grande para comprometer outras partes do cérebro, nomeadamente aquelas que controlam toda a área hormonal, a visão e outras. 
Fui liberada nesse dia com o compromisso de me deslocar ao hospital uns dias depois para uma consulta e marcação de mais exames.
Foi-me dito também que as dores de cabeça que eu tinha não pareciam ser de todo originadas por aquele problema. Ou seja, havia mais qualquer coisa.

Saí do hospital já de madrugada, com uma estúpida e efusiva alegria. Como se me tivesse saído a sorte grande! Irónico no mínimo. 
Nos três dias seguintes, foi o inferno. As dores continuavam, a medicação que me tinha receitado fazia-me vomitar como se não houvesse amanhã e emocionalmente sentia-me um trapo. 

Marquei exames médico, mais precisamente uma ressonância magnética, analises hormonais, e um exame neuroftalmológico. As analises consegui fazê-las logo mas os restantes exames foram marcados com uma lista de espera de 3 e 8 semanas. Sistema Nacional de Saúde no seu melhor. Ora, tendo eu dores diárias que por vezes não me permitiam levantar da cama ou abrir os olhos, esperar 3 e 8 semanas para saber o que se passava é no mínimo... penoso?
Acabei por fazer o exame no privado e em desespero. 
O exame acabou por não revelar muito mais para além daquilo que já havia sido descoberto na TAC, mas como um mal nunca vem só, a ressonância revelou que tenho também um quisto, perto do nariz e que esse sim deverá estar na origem das fortes dores de cabeça.

Emocionalmente sinto-me bem melhor, entretanto as dores também passaram e isso é o que mais me motiva. Estava a ficar debilitada com tanto mau estar e medicação.
Ainda não sei o que vai ser feito para que eu fique bem. Estão várias opções em cima da mesa que passam por radioterapia, medicação e/ou operação. 

De repente parece que tudo tomou um sentido diferente, e enfrentar o facto de que não somos imortais, assim de tão perto, é assustador de tão real. 
De repente os dias ficaram mais bonitos, torna-se impensável fazer o que não quero, ou deixar alguma coisa por dizer. Acho que tenho experienciado pedaços de felicidade com muito pouco, e eu adoraria que as coisas se mantivessem assim. 

12 comentários:

  1. Foi duro!
    Eu sempre te disse "antes assim que pior" - acho que foi isso que linha nas últimas linhas do post ;)
    <3

    ResponderEliminar
  2. EDIT
    *acho que foi isso que li nas últimas linhas do post ;)

    ResponderEliminar
  3. Bem que historia!
    O mais importante de tudo é que te sentes melhor e que estás a aprender imenso com esta situação.
    Espero que tudo corra bem, desejo-te muita força e muitos momentos felizes! beijinho*

    ResponderEliminar
  4. Bom, confesso que nem sei bem o que dizer. Ao mesmo tempo que acho um pouco demais partilhar certas coisas da nossa vida pessoal (e não me leves a mal, é somente o meu ponto de vista), admiro quem tem coragem de o fazer, como tu o fizeste.
    Tive vários problemas de dores de cabeça e inclusive fiz também um tac, que nada acusou. Entretanto mudei radicalmente a minha alimentação e por incrível que possa parecer, as dores diminuíram bastante. Ainda as tenho, algumas vezes uma vez por semana, mas devido ao problema de sinusite. Fico sempre meio paranóica quando oiço estas histórias, mas enfim, não posso pensar nisso. Força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Percebo o que queres dizer em relação à exposição, também pensei nisso antes de partilhar. Mas como havia dito, não consigo ter um blogue e não partilhar coisas que fazem parte de mim enquanto ser humano.
      Quanto à mudança na alimentação, referes-te a quê exactamente?

      Beijinhos e obrigada

      Eliminar
    2. Deixei de comer carne, principalmente carnes vermelhas, deixei o fast food e comecei a basear-me numa alimentação o mais natural possível. Vi grandes resultados.

      Eliminar
  5. Vim aqui parar por acaso, e que história que fui encontrar! :/
    espero que estejas melhor! Há-de correr tudo bem, tenho a certeza! Força!
    Vou seguir o teu blog :)

    ResponderEliminar
  6. Acabei de encontrar o teu blogue e li este post com um carinho especial. A minha avó foi operada várias vezes à cabeça para remoção de tumores e, apesar de todos serem benignos, não deixam de ser operações muito delicadas... Quando li que terias de ficar à espera 3 a 8 semanas para fazeres outros exames, desejei logo que tivesses possibilidades de fazê-los no privado. Pessoalmente, não tenho nenhuma razão de queixa do público mas pelo que vou vendo através de amigos e familiares próximos, se tivesse no teu lugar e se me resolvesse pela remoção, escolheria sem dúvida o privado. Se fores de Lisboa ou arredores e se quiseres, posso indicar-te um neurocirurgião de confiança (operou a minha avó várias vezes em Inglaterra e, mais tarde, o meu pai já em Lisboa).
    Espero que corra tudo bem contigo!

    Ah, outra coisa, li os comentários acima e, tal como a Vanessa, eu também tinha dores de cabeça recorrentes. Entretanto tenho estado a mudar a minha alimentação e, por acaso, deixei de ter dores desde que deixei de beber leite (continuo a comer iogurtes e queijo). Podes sempre experimentar e ver se contigo também resulta!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola Sara, obrigada pela tua mensagem. Eu ja não bebo leite há alguns meses por essa razão e outras.
      Obrigada pelo apoio e disponibilidade.

      Eliminar
    2. Ola Sara, obrigada pela tua mensagem. Eu ja não bebo leite há alguns meses por essa razão e outras.
      Obrigada pelo apoio e disponibilidade.

      Eliminar